Delito de opinião, a nova moda de um futebol português com cheiro salazarista

Calisto comeu cobra, foi atacado por leões e avisa as águias para o jogo de…Alvalade
29/03/2017
Mais 8 arguidos no 'Jogo Duplo', um deles é membro dos Super Dragões. PJ releva colaboração da FPF
29/03/2017

Delito de opinião, a nova moda de um futebol português com cheiro salazarista


 
Enche-se a boca com a palavra liberdade mas depois regurgita-se repressão. É o que está a acontecer no futebol português, onde as penas por delito de opinião se sucedem. Como se o futebol pudesse ser comparado com a vida comum. O futebol é um espetáculo  que passa ao fim de 90 ou 120 minutos e que não consegue viver sem tudo o esse curto espaço de tempo gera, ou seja, discussão. Mas não. Armados em virgens ofendidas, os legisladores, sempre zelosos, armados em guardiães do templo, desatam a punir o que não passa de fait-divers. Bruno de Carvalho é um incontinente verbal? Sim, e depois? Se alguém se sente ofendido na sua honra, que recorra aos tribunais comuns. Os tribunais desportivos não deviam estar cá para julgar este tipo de “crimes”. Enche-se a boca com a palavra liberdade mas na prática continuamos a viver num regime repressivo e bolorento, que não entendeu os novos tempos, em que a praça pública se entende a todo o mundo e não apenas ao fórum dos tribunais ou das outras igrejas dos poderes. Bruno de Carvalho desafia este sistema e vai certamente continuar a ter a coragem para prosseguir igual a si próprio. É um exemplo de alguém que não usa apenas a boca para mastigar a palavra liberdade. A sua luta continua numa multa perto de si.
PS – É interessante ficarmos a saber que agora o Conselho de Disciplina da FPF dá pelo nome de Benfica. Estamos sempre a aprender.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *