Martelinho: “Qualquer dia fazem-me aqui uma estátua de cera” [vídeo]

Martelinho. Quem não se lembra das suas “marteladas” na época de 2000/2001, quando o Boavista conseguiu o impensável feito de, sob o comando de Jaime Pacheco, ser campeão?

Hoje com 42 anos, sem clube, depois de ter treinado o Cesarense e o Lusitânia de Lourosa, Joaquim Pereira da Silva revisitou o Estádio do Bessa e a primeira coisa que quis ver foi a taça de campeão nacional, fruto de uma época na qual completou 38 jogos e marcou 9 golos, um deles ao Sporting, que deu, a quatro jornadas do fim do campeonato, a vitória à sua equipa num momento crucial.

Numa curta entrevista coletiva, Martelinho explicou o que era a mística do Boavista que levou a equipa a fazer uma época histórica e a atingir depois as meias-finais da Taça UEFA.

 

Anúncios