Mestre enviuvou e pintou chaminé da traineira de preto mas não tirou o emblema do Leixões

 

Aqui trazemos mais um exemplo de fé clubística. De novo no Leixões. Esta protagonizada pelo mestre de traineira Inocêncio Rato, timoneiro da “Santa Isabel”. Leixonense dos sete costados, destacava-se na antiga bancada de pau do Estádio do Mar. Como outros mestres, contribuiu com uma percentagem da venda de cada cabaz de sardinha para a construção do Estádio do Mar. A “Santa Isabel” não enganava. Na chaminé estava em destaque o emblema do Leixões, o clube do coração do mestre Rato, como por Rato também foi conhecido um jogador do clube, Oliveirinha, de quem o mestre dizia que se fosse seu filho colocaria numa redoma durante toda a semana só para o pôr a jogar ao domingo. O infortúnio bateu um dia à porta de Inocêncio Rato através do falecimento da sua esposa. Aí, o mestre pintou a chaminé da traineira de preto mas não tirou o emblema do Leixões. Uma miniatura da traineira pode ser vista todos os dias na sede do NASPESMAT, em Matosinhos, junto à Igreja do Bom Jesus. Acreditem que vale a pena pois para além da “Santa Isabel” podemos ali apreciar toda uma panóplia de barcos e artes de pesca.

Anúncios